• 27 de maio de 2024

Movimento Sindical reorganiza Comissão Consultiva do Ministério do Trabalho da região da serra

 Movimento Sindical reorganiza Comissão Consultiva do Ministério do Trabalho da região da serra

Na tarde desta segunda-feira, 12 de junho, o Movimento Sindical realizou a plenária para reorganização e eleição da Comissão Consultiva do Ministério do Trabalho região serra. E evento teve apoio de centrais sindicais, CTB, CUT e CSB, e ocorreu no auditório do Sindicomerciários Caxias.

A Comissão Consultiva do Ministério do trabalho foi criada nas primeiras gestões do governo Lula. Formada por representantes das entidades sindicais, o objetivo era debater e apontar as demandas trabalhistas e regionais do mercado de trabalho. Porém, após o golpe do impeachment contra a presidente Dilma, em 2016, ela fora desmantelada.

RESISTÊNCIA E RECONSTRUÇÃO

O superintendente do MTE, Claudir Néspolo, fez um resgate dos ataques sistemáticos sofridos pelas entidades sindicais e pela Justiça do Trabalho nos governos de Temer e Bolsonaro, com reflexo na perda de direitos dos trabalhadores, como ocorrera com a chamada reforma trabalhista, em 2017 e com a reforma da Previdência, em 2019.

Após contextualizar as lutas recentes e acentuar as principais necessidades da classe trabalhadora, Claudir reafirmou compromisso com a retomada da liberdade e autonomia sindical como elementos fundamentais na reconstrução da democracia e do país. “Precisamos defender as conquistas em andamento, sem nunca esquecer nossas bandeiras, lutar pela valorização das convenções coletivas de trabalho, CCTs. Pelos direitos dos trabalhadores”, disse.

Sobre a pauta do governo, ele informou que estão em linha de prioridade a regulamentação do trabalho em aplicativos, a revisão das NRs, e das alíquotas do IR. “Devemos combater e reverter os retrocessos. E, o reestabelecimento das comissões consultivas, faz parte desse caminho”. E, disse ainda que “precisamos de uma mesa de entendimento dos movimentos, entidades, pautando as ações do governo eleito democraticamente pelo povo”.

Claudir Néspolo – superintendente do MTE

O presidente da CTB RS, Guiomar Vidor, falou da resistência e reafirmou a luta que vem sendo realizada em defesa da organização da classe trabalhadora e suas entidades, além da Justiça do Trabalho. Para ele, o movimento sindical não pode baixar a guarda, deve continuar em luta permanente. Lembrou que a mobilização sindical será fundamental para a busca de avanços, como a consolidação da política de valorização do Salário Mínimo.

O presidente de CTB RS também fez menção a necessidade de fortalecer o fórum tripartite, e o debate sobre a sustentabilidade sindical, a preservação da unicidade sindical e a regulamentação do trabalho em aplicativos. “Temos de pautar e levar para o governo temas como o trabalho intermitente, por exemplo. Por isso, a comissão consultiva será fundamental, para que os anseios, as necessidades da sociedade, dos trabalhadores e trabalhadoras sejam ouvidos”.

Guiomar Vidor – presidente da CTB RS

Para Silvana Piroli, presidente do Sindiserv, mesmo que o povo e os trabalhadores tenham eleito um governo alinhado com seus anseios, a luta está longe de terminar. “As Centrais Sindicais formaram um pacto que foi fundamental na luta, no triste período de retrocessos que vivemos, mas, não podemos nos enganar, a luta apenas iniciou”, disse.

Silvana lembrou ainda das tentativas de destruição do serviço público, dos direitos dos trabalhadores e de seus defensores. “A retomada do governo com viés democrático foi uma grande vitória, mas precisamos continuar lutando, precisamos de um espaço de luta conjunta e permanente. Somos companheiros da mesma causa, da luta pelos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras”.

Silvana Piroli – presidente do Sindiserv

O gerente regional do MTE, Vanius Corte, abordou temas bem presentes como a precarização do serviço público e da saúde, verificados no último período. Relembrou a importância da luta por temas e bandeiras como o combate ao trabalho infantil, “vale lembrar que hoje, dia 12 de junho, é o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, instituído pela Organização Internacional do Trabalho (OIT)”.

Vanius ponderou ainda que “o nosso papel é entender o momento e, principalmente, que não podemos ficar apenas esperando. Devemos cobrar do governo sim, fazer a nossa parte enquanto sociedade, manter a luta, buscar reverter os retrocessos da Reforma Trabalhista. Contudo, temos a responsabilidade com o governo que ajudamos a eleger, de dar sustentação, mas sem esquecer jamais nossas bandeiras, as demandas da sociedade”.

Para ele, a comissão consultiva é um mecanismo para que a luta se mantenha, para criar uma agenda combativa e propositiva de demandas dos trabalhadores e trabalhadoras.

Vanius Corte – gerente regional do MTE

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias e Região, Assis Melo, registrou que a vitória do atual governo tem como significado a defesa da democracia e da reconstrução da nação. “Devemos manter a luta, mas também defender as conquistas do atual governo, que em apenas seis meses fez muito mais que o antecessor”. Assis afirmou que o movimento sindical deve participar mais, buscar a integração com o governo.

Já o presidente do Sindicomerciários Caxias, Nilvo Riboldi Filho, lembrou que a luta do presente é um grande desafio para construir um novo futuro para a juventude e a classe trabalhadora.

Nilvo Riboldi Filho – presidente do SIndicomerciários Caxias

Integrantes eleitos para a Comissão Consultiva do Ministério do Trabalho região da serra:

– Vanius Corte, gerente regional do MTE
– José Carlos Monteiro – Simpro
– Ademar Sgarbossa – Sintep/Serra
– Sérgio Poletto – Sind. Rural
– Eremi Melo – Sindicato do Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região
– Silvana Pirolli – Sindiserv
– Ivanir Perrone – Sindicomerciários Caxias
– Nestor Borges – Sindilimp
– Luiz Carlos Azevedo – Sindicato do Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região
– Rodrigo Callais – Sintrahg

Comerciários

Posts Relacionados