• 18 de julho de 2024

CTB RS participa de reunião do governo federal com foco nas estratégias junto aos movimentos sociais de auxílio às vítimas do RS

 CTB RS participa de reunião do governo federal com foco nas estratégias junto aos movimentos sociais de auxílio às vítimas do RS

A CTB RS participou de uma reunião híbrida com a Secretaria-Geral da Presidência da República e o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome na tarde desta terça-feira, 7, com o objetivo de ouvir as demandas dos movimentos sociais para o socorro às vítimas do Rio Grande do Sul.

O secretário de comunicação da CTB RS, Alex Saratt, que representou a central na reunião, apresentou série uma de demandas. Entre elas: liberação do benefício emergencial; antecipação de 13° salário e férias; crédito para micro-empresas e MEIs como fator de reativação da atividade econômica, produtiva e laboral; canal de comunicação, informação e mobilização direto entre governo federal e movimentos sociais para corretamente informar a população e denunciar as fake news; criação de frentes de trabalho para a reconstrução material do RS; garantia de emprego e renda; política de moradia e urbanização com participação e controle popular e políticas setoriais para Juventude.

O encontro contou com a participação de 70 entidades representativas dos movimentos sociais do Rio Grande do Sul.

De acordo com o secretário nacional de Participação Social, Renato Simões, “os movimentos sociais têm demandas muito específicas, precisamos estabelecer uma linha de ações que são prioritárias, a partir daí, ouvir gestores e a sociedade civil e organizar esse fluxo”, afirmou.

Doações

Pela manhã, outra reunião teve como foco a ação emergencial voltada so fluxo das doações para o estado. Simões disse que as Cozinhas Solidárias cumprem um papel importante nesta mobilização. “Estamos mapeando as Cozinhas Solidárias do estado e estamos estudando formas delas amplificarem o fornecimento de refeições, aumentar aquilo que elas já fazem hoje”, explicou.

O ministro Márcio Macêdo disse que “o grupo irá formular fluxos e logística para melhor organizar as doações para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. O objetivo é que os donativos cheguem o mais rápido possível às pessoas que mais precisam.” E reforçou o apoio aos movimentos sociais “para que, na medida do possível, ampliem a assistência – que os movimentos já tem dado – aos desabrigados dessa tragédia que infelizmente atingiu o povo gaúcho”. Confira a postagem nas redes da Secretaria-Geral.

Participaram da reunião o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Márcio Macêdo; o ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, a secretária-executiva da SG, Kelli Mafort; o secretário nacional de Participação Social da SG, Renato Simões; o diretor geral da Polícia Rodoviária Federal, Antonio Fernando; o diretor de gestão de pessoas dos Correios, Getulio Marques; o secretário-executivo da Secom, Ricardo Zamora; o secretário-executivo da Secretaria de Relações Institucionais, Olavo Noleto; além de assessores de diversos órgão, como: Secretaria-Geral, Secom, Casa Civil, Integração e Desenvolvimento Regional, Desenvolvimento e Assistência Social e da Defesa.

Locais

Por ora, a intenção do governo federal é concentrar as doações nas agências dos Correios e também nos grupamentos do corpo de bombeiros, locais estes que já estão recebendo as doações. Segundo o diretor de Gestão de Pessoas dos Correios, Getúlio Marques, há 3994 agências nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco e Rio Grande do Sul que estão recebendo as doações da população. A estratégia de melhorar o fluxo das doações está sendo tratada como prioridade, nesses primeiros dias da semana.

CTB RS com informações da Secretaria da Presidência

Comerciários

Posts Relacionados