• 25 de outubro de 2021

CTB lança campanha de fortalecimento das entidades sindicais

 CTB lança campanha de fortalecimento das entidades sindicais

Na próxima segunda-feira, 22 de março, será realizado o lançamento nacional da campanha de fortalecimento das entidades sindicais “Sem Sindicato seu Direito Desaparece – SINDICALIZE-SE”, uma iniciativa da Central dos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil (CTB) em parceria com as entidades associadas.


Conforme Adilson Araújo, presidente da CTB, a campanha é essencial para fazer frente à grande ofensiva do capital contra o trabalho deflagrada no Brasil a partir do golpe de 2016. “Desde então tivemos a reforma Trabalhista do governo golpista liderado por Michel Temer, a terceirização irrestrita e o congelamento dos investimentos públicos”, lembrou o sindicalista. Coroando este processo, a reforma pôs fim à contribuição sindical compulsória para enfraquecer a organização sindical e debilitar a luta em defesa da classe trabalhadora.

Luta sindical evitou retrocesso maior
Segundo Adilson, sem os sindicatos a situação seria ainda pior para os trabalhadores, pois os fatos mostram que a ação sindical é o que tem garantido direitos e evitado um retrocesso maior. “Sou bancário, sei que na negociação salarial deste ano os banqueiros queriam dar reajuste zero e acabar com benefícios que conquistamos e estão previstos na Convenção Coletiva. A ação unitária dos sindicatos em todo o país impediu que isto ocorresse”, relatou.
Como efeito, o acordo obtido pelos bancários na mesa de negociação, depois de muita luta, terá duração de dois anos e garantiu, em 2020, 1,5% de reajuste nos salários, mais abono de R$ 2 mil para todos, e reposição da inflação (INPC estimado em 2,74%) nas demais verbas como VA e VR, bem como nos valores fixos da PLR. E, para 2021, prevê reposição do INPC + 0,5% de aumento real para salários e demais verbas. Além disso, todas as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria foram mantidas.


Como vemos, sem os sindicatos o reajuste seria zero, como propuseram os patrões na abertura das negociações, e os benefícios conquistados e consagrados na CCT teriam sido suprimidos. Não só os bancários como muitas outras categorias preservaram suas conquistas graças à capacidade de negociação e luta dos seus respectivos sindicatos.


Enfrentamentos durante a pandemia
Para o presidente do Sindicomerciários Caxias, Nilvo Riboldi Filho, a campanha e a luta pelo de fortalecimento do movimento sindical é a única maneira de garantir aquilo que é a última proteção dos trabalhadores, os sindicatos. “Sem a luta sindical os trabalhadores e trabalhadoras pendem a força pela busca de seus direitos, sendo obrigados a negociar diretamente com os patrões numa condição desigual, que foi agravada após a reforma Trabalhista”. Nilvo também complementa que, “além de não gerar nenhum dos empregos prometidos, presenciamos a busca do enfraquecimento das entidades e perda de direitos, assim como a precarização do trabalho. Sem os sindicatos, negociações das convenções coletivas e acordos com os sindicatos patronais, a situação crítica que vivemos pela pandemia seria ainda pior, pois estamos empenhados em garantir a vida, o trabalho e a renda dos trabalhdores! Além de manter os serviços médicos num momento em que presenciamos o colapso do sistema de saúde!

Comerciários

Posts Relacionados