• 5 de dezembro de 2022

Comerciários aprovam mudanças no estatuto e debatem situação econômica

 Comerciários aprovam mudanças no estatuto e debatem situação econômica

Na noite da última quinta-feira, 23 de junho, o Sindicomerciários Caxias realizou assembleia extraordinária para mudanças no estatuto da entidade e para colocar os comerciários e comerciários a par do início das negociações da Campanha Salarial de 2022.  A noite também foi marcada pelo debate sobre a situação política e econômica nacional, quando o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e Fecosul, Guiomar Vidor, fez um retrospecto da economia e relato do estágio inicial de negociações estaduais e nacionais das Convenções Coletivas de Trabalho (CCTs).

Um dos temas votados e aprovados por unanimidade pelos associados presentes foi a mudança oficial nos estatutos do endereço novo, na Rua Pinheiro Machado, 1239, que ainda não constava nos estatutos e precisava ser atualizado. O segundo ponto votado, e aprovado foi a abertura da possibilidade dos promotores de vendas poderem se associar para utilizar os serviços médicos e convênios. Segundo Ivanir Perrone, vice-presidente do Sindicomerciários Caxias, “mesmo que não possamos efetuar negociações pela categoria dos promotores, há muitos anos eles estão pedindo para que pudessem estar fazendo uso dos nossos serviços médicos e odontológicos. Infelizmente eles e suas famílias estão desprotegidos nesta área atualmente”.  

INÍCIO DAS NEGOCIAÇÕES DA CAMPANHA SALARIAL

Nilvo Riboldi Filho, presidente do Sindicomerciários, colocou os comerciários e comerciários a par do andamento do início das negociações da CCT deste ano. Informou que mesmo sem o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) deste ano, que é utilizado para as negociações da reposição salarial, já foram iniciadas as reuniões com os sindicatos patronais. Ivanir Perrone lembrou que a data base da categoria é julho, “mas sempre nos antecipamos para que seja fechado o mais rápido possível, pois a renovação das cláusulas sociais também é de importância fundamental”. Mas, complementou, “não basta só sabermos o índice, precisamos que os trabalhadores tenham o entendimento de como é calculada a inflação. Quais os motivos que fazem irmos em tão pouco tempo, anos, de 2, 3, 9, a 11%? O que está acontecendo em nosso país!”

Nilvo complementou a fala de Ivanir, salientando que “a renovação da CCT e cláusulas sociais é fundamental para todos, pois ali estão mais de 80 direitos que as leis trabalhistas não garantem ou regulamentam, que precisam ser negociadas e renovadas, como é o caso do auxílio-creche, por exemplo”.  Lembrou que também será um ano de luta pelas perdas salariais e fez uma breve análise do custo de vida do trabalhador que está vendo seu poder de compra despencar, “quando vemos que um Salário Mínimo não compra nem mesmo a cesta básica”. Aproveitou para passar a palavra a Guiomar Vidor, para fazer a análise política e econômica. A vice-presidente, Ivanir, enfatizou que “não vamos baixar a guarda, precisamos renovar a CCT e lutar por uma reposição para recuperar os salários dos efeitos da inflação”.

LUTA CONTRA OS RETROCESSOS

Guiomar Vidor iniciou sua participação, através de videoconferência, deixando claro que “os retrocessos e os problemas que vemos hoje são reflexo do golpe orquestrado para tirar uma presidente eleita democraticamente e colocar em prática uma agenda regressiva, que implementou reformas como a Trabalhista, retirando mais de cem direitos dos trabalhadores, com a promessa mentirosa de gerar empregos”. O presidente da CTB-RS e da Fecosul destacou dados preocupantes, mostrando que “o Brasil voltou ao mapa da fome: em 2018 tínhamos 11 milhões de habitantes em situação de miserabilidade, esse número triplicou, agora são mais de 33 milhões! Os brasileiros não estão conseguindo nem mesmo colocar comida na mesa! Vivemos com a realidade do desemprego, subemprego, precarização e da fome!” Lembrou da importância deste ano, quando os trabalhadores e trabalhadores precisam ser protagonistas da mudança, quando “precisamos ir às urnas e eleger pessoas realmente comprometidas com os trabalhadores e pessoas mais humildes. Dar um basta, um fim aos retrocessos. Reconstruir o país, dar dignidade aos trabalhadores!” Destacou a campanha nacional “#REVOGAJÁ”, movimento pela revogação da reforma Trabalhista, lançada esta semana no RS e, da luta pelo Piso Mínimo Regional.

Mesmo não ter sido fechado o INPC para a categoria comerciária deste ano, Guiomar destacou que “estamos nos movimentando, organizando para fazer desta campanha salarial um momento de debate, de discussão, pois nós,  trabalhadores e trabalhadoras , precisamos refletir sobre todos estes retrocessos que estamos vivenciando e, além de resistir, reagir, sermos protagonistas da mudança!” Para falar mais sobre a Campanha Salarial 2022 da categoria comerciária caxiense deste ano, chamou o jornalista Clomar Porto, coordenador de comunicação. O jornalista apresentou a ideia que norteia a campanha que será lançada oficialmente na próxima semana para a imprensa e categoria, quando o principal objetivo é “dialogar com a luta para vencer a inflação descontrolada, que está acabando com o poder de compra dos trabalhadores e afetando toda a economia”.  Nilvo complementou, afirmando que “a campanha deste ano busca levar uma luza, falar sobre a situação crítica que estamos vivendo, sobre o custo de vida elevado. O trabalhador precisa de um salário digno, e, da mesma forma, é isso fará a roda da economia girar”.

Comerciários

Posts Relacionados