• 27 de maio de 2024

Câmara de Caxias debate trabalho escravo: ‘É preciso reagir’, adverte presidente dos Comerciários

 Câmara de Caxias debate trabalho escravo: ‘É preciso reagir’, adverte presidente dos Comerciários

Foto: Divulgação / Câmara Municipal de Caxias do Sul

O seminário “Trabalho Decente sim, Trabalho Escravo não” será realizado nesta sexta-feira (10), às 14h, na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul (RS).

O evento é organizado pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e demais entidades sindicais, em função dos recentes casos de trabalho análogo à escravidão identificados em vinícolas da serra gaúcha, em que 207 pessoas foram resgatadas.

“O objetivo é contrapor a essa realidade desumana, com o conceito do trabalho decente, que é uma condição fundamental à superação da pobreza, redução das desigualdades sociais, garantia da governabilidade democrática e o desenvolvimento sustentável. É preciso reagir. O neoliberalismo não tem conseguido responder às necessidades da sociedade. Sobretudo após a crise em 2008, o que temos assistido é o crescimento do trabalho análogo à escravidão em diversos países, inclusive com crescimento do trabalho infantil”, advertiu Nilvo Riboldi Filho, presidente do Sindicato dos Comerciários de Caxias do Sul.

Para o dirigente, um dos aspectos a serem abordados no debate é o retrocesso causado pelas reformas trabalhista e da Previdência. “Não é exagero dizer que, por causa dessas reformas, houve uma ruptura no patamar civilizatório do trabalho, em que o capital passou a ter enorme poder de pressão sobre a mão de obra, de forma brutal e desigual em cima dos trabalhadores. Hoje os empresários acham que podem fazer tudo e que a classe trabalhadora não tem direitos”, lamentou Nilvo.

De acordo com o presidente, o principal desafio dos sindicatos e centrais é unir a sociedade para cobrar o fortalecimento das estruturas de fiscalização do Ministério do Trabalho e do Ministério Público do Trabalho.

Comerciários

Posts Relacionados