• 27 de maio de 2024

Ato nacional no Rio de Janeiro pede preservação dos 44 mil empregos da Americanas

 Ato nacional no Rio de Janeiro pede preservação dos 44 mil empregos da Americanas

Foto: Divulgação / CTB

Comerciários de todo o Brasil ocuparam as ruas da Cinelândia, no Centro do Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira (3), no ato nacional em favor da preservação dos 44 mil empregos e garantia dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras das Lojas Americanas. A rede varejista, que conta com 1,7 mil unidades em todo o território nacional, está em processo de recuperação judicial desde que foi revelada uma dívida de R$ 41,2 bilhões, com 7.720 credores oficiais.

Em função da suspeita de fraude e risco de calote, as centrais sindicais ingressaram com uma ação judicial para assegurar que o patrimônio pessoal dos acionistas de referência Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles possa ser executado independentemente do processamento da recuperação judicial.
“O objetivo do ato é preservar os empregos enquanto perdura a recuperação judicial, responsabilizar os sócios-majoritários e garantir que nenhum trabalhador saia prejudicado. A CTB, todas as centrais sindicais e confederações do ramo estão participando da mobilização, que não termina hoje. É um conjunto de mobilizações que nós vamos fazer durante o próximo período”, avisou o secretário-geral da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Ronaldo Leite.
Funcionária das Americanas, a diretora do Sindicato dos Comerciários do Rio, Darlana Morgana Santiago, ressaltou a importância da unidade das entidades de classe na manifestação. “Estamos aqui hoje reforçando a parceria da CTB com todos os comerciários do Brasil para reforçar que a empresa responsabilize seus três principais acionistas para que os trabalhadores não sejam lesados de forma alguma. Estamos aqui pela garantia de nenhum direito a menos aos trabalhadores. Nenhum trabalhador será passado para trás aqui”, salientou.
Além da CTB, participam do ato, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Força Sindical (FS), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Confederação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs-CUT) e Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC).

Comerciários

Posts Relacionados