• 17 de junho de 2024

A conjuntura e os desafios do governo Lula foram os debates no curso de formação da CTB RS nesta quinta

 A conjuntura e os desafios do governo Lula foram os debates no curso de formação da CTB RS nesta quinta

A abertura do segundo dia do curso de formação promovido pela CTB/RS, contou com a palestra do Prof. Thomas Toledo, do Centro Nacional de Estudos Sindicais e do Trabalho (CES), professor de Relações Internacionais da UNIP, historiador pela USP, mestre em Desenvolvimento Econômico pela Unicamp e especialista em BRICS. Toledo falou sobre A conjuntura atual e os desafios para o êxito do governo Lula.

Antes do início da palestra, Ivanir Perrone, vice-presidente da CTB/RS deu as boas vindas aos participantes e relembrou o convênio com o CES, Centro de Estudos Sindicais, e a importância dessa parceria ao longo dos anos. “O Centro Nacional de Estudos Sindicais e do Trabalho (CES) foi fundado em 1985 com o para ajudar a construir um sindicalismo forte.”

Contexto histórico

Toledo apresentou um contexto histórico anterior ao atual governo, iniciando com as manifestações de 2013, operação Lava Jato, descoberta do pré-sal e ataques à Petrobrás. “Um movimento feito pelas elites brasileiras em conluio com os Estados Unidos. A negação da política nesse período, o lavajatismo, a misoginia e a xenofobia se agrava cada vez mais nesse período.” Após a eleição da presidente Dilma em 2014, o impeachment, a retirada de direitos no governo Temer até chegar na eleição de Bolsonaro. “A prisão do Lula pela Lava Jato, o desmantelamento das empresas brasileiras: uma operação política que nunca foi sobre o combate a corrupção que nos deu uma figura caricata, anacrônica, que chegou a presidência em 2018.”

Ao longo da palestra, Toledo levantou vários questionamentos:

“Precisamos refletir sobre esse momento, os desafios do governo Lula e o que existe ainda do Bolsonarismo.”

“Ao questionar o porquê de votar no Lula, muitos eleitores respondem: por que me lembro que no seu governo minha vida era melhor. Não é nem uma resposta ideológica. É uma memória que devemos trabalhar.”

“Quem votou no Bolsonaro e quem é Bolsonaristas são coisas diferentes. Muitos que votaram no Bolsonaro não tem conhecimento de fatos envolvendo. Já a ideologia Bolsonarista vem com tudo o que tem de pior na política do Brasil.”

“Derrotamos Bolsonaro, mas o Bolsonarismo está derrotado? Eles inventam problemas para dizer que tem a solução. Temos o exemplo aqui em Caxias de um vereador que se elegeu deputado atacando o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Assis Melo. Precisamos descontruir isso.”

“Se o trabalhador votou no Bolsonaro, o sindicato que representa uma categoria tem que defender esse trabalhador. Não é fácil ser sindicalista nessa época, mas na Ditadura Militar era pior.

O evento está acontecendo no Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Caxias do Sul. O curso de formação Quando você se forma, transforma, conta com a participação de cinquenta dirigentes sindicais de diversos municípios participando do encontro que segue até sexta-feira.

Lula foi eleito em uma frente ampla em que o Alckmin é vice-presidente. Vivemos um cenário em é necessário fazer alianças com pessoas que nunca imaginaríamos.

Entre os desafios de Lula, Toledo destaca um presidente da Câmara bolsonarista, a bancada BBBB(boi, bala, bíblia e banco), dois ministros terrivelmente evangélicos, Roberto Campos Neto na presidência do BC e Augusto Aras na PGR. É uma correlação de forças complicada. Minha preocupação é com a paralisia dos movimentos sociais desde que o governo começou. Cada uma agenda de lutas nacional? Precisamos reformar a Reforma Trabalhista, rever o teto de gastos.”

Na parte da tarde, o curso seguiu também com palestra do Prof. Thomas de Toledo falando sobre as “Bases teóricas do neoliberalismo e do fascismo”.

“A prioridade agora são as eleições de 2024 que serão um termômetro para as eleições de 2026.”

“A principal arma da esquerda contra a extrema-direita é a verdade. A mentira deles contamina e precisamos contar a verdade. É possível derrotar o Bolsonarismo, mas temos que mobilizar.”

A programação segue até sexta-feira, dia 06 de outubro.


Programação

Dia 04/10

14h15: A agenda da Classe Trabalhadora no Congresso nacional e a aplicabilidade da Lei do Trabalho igual Salário Igual – Mestre em economia pela UFRGS, Lúcia Garcia, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

15h15: A comunicação e sua importância estratégica para o movimento sindical – jornalista Clomar Porto, assessor de comunicação do Sindicomerciários Caxias e CTB-RS.

Dia 05/10

9h: A conjuntura atual e os desafios para o êxito do governo LULA – Prof. Thomas Toledo, do Centro Nacional de Estudos Sindicais e do Trabalho (CES), professor de Relações Internacionais da UNIP, historiador pela USP, mestre em Desenvolvimento Econômico pela Unicamp e especialista em BRICS.

14h: Bases teóricas do neoliberalismo e do fascismo – Prof. Thomas de Toledo.

Dia 06/10

9h: As propostas das centrais sindicais sobre negociação coletiva, organização e financiamento sindical no fórum tripartite e a recente decisão do STF – Prof. José Geraldo Santana, advogado licenciado em história e direito pela Universidade Federal de Goiás, professor do Centro Nacional de Estudos Sindicais(CES).

Redação: Márcio Schenatto

Fotos: Rodrigo Positivo

Comerciários

Posts Relacionados