Mortes de mulheres no Brasil têm raça e classe definidas

mulheres115609

“Violência no Brasil é um fenômeno social articulado a partir do racismo e do patriarcado”, diz Bruna Cristina Jaquetto Pereira, pesquisadora visitante da Universidade de Berkeley, na Califórnia, nos Estados Unidos. Uma mulher foi assassinada a cada duas horas em 2016 no Brasil. É o que diz o levantamento feito pelo Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado no final de outubro. Em números absolutos, 4.657 mulheres perderam a vida no país. Apesar disso, apenas 533 casos foram classificados como feminicídios mesmo após lei de 2015…

Leia mais »

Maior participação feminina no mercado de trabalho injetaria 382 bilhões de reais na economia

77d15919-5299-4ebd-9d5a-f385e0b0eaef

Estudo da OIT mostra também que apenas metade das mulheres do mundo trabalham fora, mas a maioria gostaria de ter um emprego A diminuição das diferenças de gênero no mercado de trabalho poderia aumentar o PIB brasileiro em 3,3%, ou 382 bilhões de reais, e acrescentar 131 bilhões de reais às receitas tributárias. Para isso, seria necessário o Brasil reduzir em 25% a desigualdade na taxa de presença das mulheres no mundo do trabalho até 2025, compromisso já assumido pelos países que compõem o G20.…

Leia mais »