Sindicomerciários e Sindilojas fecham convenção coletiva de 2018

Acordo Coletivo 2018

Nesta quinta-feira, 23 de agosto, o Sindicato dos Empregados no Comércio de Caxias do Sul (Sindicomerciários) e o Sindicato do Comércio Varejista de Caxias do Sul (Sindilojas) fecharam a Convenção Coletiva para os trabalhadores do comércio caxiense, de Flores da Cunha e Nova Pádua de 2018. Ao final das negociações, que iniciaram de maneira antecipada este ano, ficou estabelecido o índice de 3,53% para os salários em geral e, 4% para os pisos da categoria, além da renovação das Cláusulas sociais, que garantem mais de 70 direitos aos trabalhadores que não fazem parte das leis trabalhistas.

Com o fechamento da convenção, o piso da categoria sobe para R$ 1.295,00, o piso de trabalhadores comissionados para R$ 1.572,00 , e, o do período de experiência ficará em R$ 1.172,00 reais. Os menores aprendizes receberão R$ 912,00, ficando os valores do triênio em R$ 32,37 reais e, dos quinquênios em R$ 129,50. Entre os direitos garantidos no Acordo Coletivo está o auxílio-creche, que passará para R$ 273,00 reais.

Um dos principais pontos no acordo foi o estabelecimento do valor de R$ 136,00 reais para o trabalho em feriados, com exceção do Natal, Ano Novo e Dia do Trabalhador, que são datas em que não se permite o trabalho com funcionários. O trabalhador receberá o prêmio de R$ 67 reais pelo trabalho aos domingo e, nos domingos de dezembro e na Páscoa, o valor de R$ 72,00. Os valores negociados são retroativos a julho de 2018.

Participaram da negociação a presidente em exercício do Sindicomerciários, Silvana Ferraz, acompanhada de representantes da diretoria e do Jurídico do sindicato, juntamente com o presidente da Federação dos Empregados no Comércio de Bens e Serviços do Rio Grande do Sul (Fecosul), Guiomar Vidor. Para o presidente da Fecosul, “fechar antecipadamente o Acordo Coletivo, garantindo a renovação das Cláusulas Sociais e, garantindo a ampliação de direitos é uma grande vitória da categoria. Além de representar o compromisso com os trabalhadores, mostrando que não nos opomos em nenhum momento em ampliar o atendimento das lojas, desde que isso retorne em benefícios para os trabalhadores”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *